DOMINGO, 19 DE NOVEMBRO DE 2017 | |

Princesa Isabel, PB

Portal Folha da Serra no Facebook Portal Folha da Serra no Twitter Portal Folha da Serra no Google Plus Fale conosco
Publicado em 19/10/2017 às 18:29:00

Aprovada em comissão PL de Rômulo que amplia vendas da agricultura familiar

ampliação das vendas

102_romulo_gouveia_-_assessoria.jpg

O parlamentar destacou que a medida estimula a agricultura familiar e tem impacto direto na economia dos pequenos agricultores

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural aprovou o Projeto de Lei 7803/17, do deputado Rômulo Gouveia (PSD-PB), que permite aos estabelecimentos penais a aquisição de alimentos diretamente da agricultura familiar.

A proposta altera a Lei de Licitações (8.666/93), dispensando a licitação para a aquisição, por estabelecimentos penais, de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar, desde que os preços sejam compatíveis com os vigentes no mercado local e que os alimentos atendam às exigências do controle de qualidade estabelecidas pela legislação.

Rômulo Gouveia destacou que a medida estimula a agricultura familiar e tem impacto direto na economia dos pequenos agricultores, refletindo diretamente na economia local com a movimentação monetária dentro de pequenos e municípios.

O parecer do relator, deputado Lucio Mosquini (PMDB-RO), foi favorável à proposta. "Ao viabilizar hipótese de dispensa de licitação para aquisição de gêneros alimentícios da agricultura familiar, a norma impulsiona as vendas de um setor que, por ser de menor porte, nem sempre teria condições de participar em iguais condições nos certames licitatórios", disse.

O parlamentar ressaltou que lógica semelhante existe no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), "que têm apresentado significativos resultados, tanto para melhoria da qualidade da alimentação dos consumidores, quanto para crescimento da agricultura familiar brasileira".

Tramitação - A proposta ainda será analisada, em caráter conclusivo, pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.



ClickPB

Deixe seu comentário